Políticas de Comunicação

A política de comunicação pode ser definida como o conjunto de princípios que fundamentam a comunicação de uma instituição/governo, devendo ainda prever as relações e reações da instituição/governo com cada público.  São estabelecidas por governos devido ao seu natural compromisso com o interesse público. Ou seja.  os governos podem formalizar dos padrões de comunicação mais convenientes, adotando políticas públicas que orientem e induzam a interatividade e a troca de informações de interesse coletivo. Essas políticas devem ser duradouras e baseadas em aspirações coletivas, podendo aumentar a governabilidade, competitividade e integração social. No entanto, as empresas e instituições também devem ter sua política específica de comunicação. 

A formalização de uma política de comunicação é importante para a eficiência e também credibilidade. “A não-formalização induz ao improviso e à visão comprometida conforme os interesses do momento” Duarte. A formalização, por tanto, ocorreria em setores como internet, publicidade, acesso à informação, atendimento ao cidadão etc. Sendo assim, a transparência, a facilidade de acesso e interação do público e uma ouvidoria social são vistas como pilares para uma boa política de comunicação.

Política de Comunicação é o conjunto sistematizado de princípios, valores, posturas, estratégias e diretrizes que objetivam orientar o relacionamento de uma organização/instituição ou empresa com os seus públicos de interesse ou estratégicos (“stakeholders”). 

A Política de Comunicação se consubstancia em um documento, resultado de um processo de construção coletiva, e que tem como característica fundamental o estímulo permanente à colaboração. A Política de Comunicação se desdobra em temas ou assuntos e sua abrangência e detalhamento são fruto do consenso de comunicadores e gestores, com a participação da comunidade interna. 

A Política de Comunicação tem como objetivos fundamentais:  

a) Destacar a importância da comunicação como um processo estratégico de gestão que permeia todas as ações de uma organização/governo;  

b) Levantar e sistematizar todas as ações, produtos, fluxos e processos de comunicação em vigor ou a serem implementados em uma organização/governo, tendo em vista incrementar e qualificar interação com os seus públicos estratégicos; 

c) Padronizar diretrizes, posturas, valores e princípios de modo a garantir coerência e eficácia ao processo de relacionamento com os públicos estratégicos;  

d) Subsidiar planos de comunicação a curto, médio e longo prazos, que possam estabelecer prioridades e possibilitar a construção de indicadores para avaliação sistemática e permanente do esforço de comunicação desenvolvido por uma organização.